Vender! Avanço ou aguardo ?

Certo dia me perguntaram sobre vender ou não vender a empresa.

Parece uma pergunta simples, porém são muitos os cenários e situações a serem considerados para dar esta resposta.

Do meu ponto de vista como Broker em M&A, dou preferência para negócios que estejam operando, gerando caixa, com capital de giro e com perspectivas positivas, assim é muito mais fácil e até mais rápida a concretização da venda.

Mas poderíamos refletir:  o que leva o empresário ou grupo empresarial a vender um ativo com tantos atributos positivos?

No momento atual conturbado da economia mundial, são muitas as razões que levariam a essa decisão. Por exemplo, uma decisão estratégica presente no Business Plan para realização de lucros, o empresário e o conselho podem entender que daqui para a frente esta operação deve ganhar novos investidores e novos players para se manter na liderança… São várias as razões.

E há ainda aspectos emocionais, sob o ponto de vista do empresário que dedicou grande parte da sua vida para construção da empresa e agora deseja descansar.

Por outro lado, se o negócio não vai bem, há restrição de capital, vendas em queda, lucro comprometido, certamente partir para venda da empresa pode ser um problema ainda maior, que vai reduzir o valor do negócio e gerar prejuízos ainda maiores.

Neste caso, recorrer aos processos de revitalização com consultorias especializadas é um caminho sempre recomendado, há um universo de gente competente no mercado. Eu mesmo conheço pelo menos três que certamente atuam com respostas muito positivas.

O mercado brasileiro, nos últimos anos, tem apresentado alta volatilidade, há mom,entos em que o copo está cheio e outros, em que o copo está vazio, saber transitar entre estes cenários requer muito talento e, na maioria das vezes, é estressante. Mesmo que a situação esteja favorável, decidir o próximo passo é sempre um dilema profundo, e neste sentido o empresário vive a sua solidão empresarial.

Não há a quem consultar, por ser uma decisão exclusivamente pessoal, o melhor consultor é a própria consciência, e neste ponto as variáveis econômicas terão sempre um peso importante, além dos aspectos sentimentais e emocionais.

Recomendo incluir no Business Plan este item da possível  venda da empresa, debater o assunto com os principais acionistas, considerando indicadores como lucro sobre patrimônio, ROI, saldo de caixa, e levar em conta que uma venda bem construída, além de levar algum tempo, requer um planejamento e uma assessoria especializada, que vai atuar com sigilo, discrição e com elevado grau de assertividade.

Se você tem algo a acrescentar neste artigo, por favor compartilhe para que as operações de M&A sejam cada vez mais profissionais.

Desde já agradeço sua colaboração.

Ivan Alves – Broker em M&A

www.icbconsulting.es

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *